17 abr 2018

O digital, seu site e a nova jornada do Omnishopper

Um estudo da Criteo, envolvendo o Brasil, passou meio despercebido por estas bandas, mas acho que contém informações muito relevantes que merecem ser compartilhadas. O estudo se chama “The Shopper History” e avalia o comportamento omnichannel de consumidores em 6 países.

 

Para quem ainda não conhece o termo, o Omnishopper é aquele consumidor que usa uma variedade de plataformas, canais e dispositivos para pesquisar produtos e fazer as compras.

As principais conclusões do estudo são:

  • Omnishopping é onipresente (cerca de 70 a 80% dos consumidores segundo a pesquisa) – e multidirecional;
  • Sites de varejo e de marcas geram tanto awareness quanto consideração, influenciam fortemente na compra;
  • Os mecanismos de busca (como o Google) não são o ponto de partida das compras para a maioria das categorias, há as exceções certamente;
  • Fazer compras entre sites é a normal;
  • As compras por impulso são quase tão on-line quanto nas lojas. Já escrevi sobre isso em 2014 no artigo: “Para onde vão as compras por impulso” que hoje são feitas online, às vezes ou com frequência, por 83% dos entrevistados;
  • O comprador atual, mais empoderado, exige relevância e respeito;

As modalidades de Omnishopping, você deve se reconhecer em algumas delas, são:

 

 

Os mais comuns, você deve imaginar, são o Showrooming e Webrooming. O Brasil lidera tanto entre os que preferem comprar tudo online (85%), quanto nos que gostam de comprar na loja quando tem tempo (77%), demonstrando que depois do futebol, comprar é o segundo esporte favorito do brasileiro.

Quem são os maiores influenciadores da compra?

 

Como era de se esperar, talvez não na intensidade que o estudo mostra, os sites e aplicativos são as primeiras fontes de contato com novos produtos: 85% afirmar ter descoberto sobre novos produtos nestes canais contra 59% da publicidade e 57% de redes sociais.

 

Em se tratando de saber mais sobre estes produtos e comparar com outros simulares, a influência dos sites é ainda maior: 88% contra 53% da publicidade e 53% de redes sociais.

 

Para os consumidores já decididos, que já sabem o que vão comprar, o site das marcas e de varejo são o primeiro ponto de contato, com 37% no Brasil.

 

Por último, pasmem, os sites são o que mais influencia na decisão de compra, dizem 50% dos entrevistados. Isso reforça o que escrevi no artigo sobre o novo ecossistema de performance, como trabalhamos na Colmeia, o site é o hub, o centro da estratégia digital.

Como os shoppers lidam com o uso da informação?

 

Quanto ao assunto do momento, a privacidade online, o estudo traz insights importantes:

 

 

E dão as dicas para usar as informações mantendo um bom relacionamento:

 

Como trabalhar o consumidor Omnishopper

 

A Criteo aponta os cinco pontos chave para trabalhar com esta nova realidade:

 

 

Estamos completamente alinhados com esta linha de pensamento aqui na Colmeia, conforme nosso ebook sobre o novo ecossistema de performance digital.

 

E segue aqui o link para o estudo da Criteo.